Alerta aos pais: maioria dos adolescentes de 13 anos já viu conteúdo adulto na web

Mensagens


O consumo de conteúdo adulto por meio das mídias digitais se tornou um problema gigantesco para autoridades governamentais, líderes religiosos e famílias, pois trata-se de um problema que acarreta inúmeras consequências e já vem atingindo, também, adolescentes entre 10 e 13 anos.

Um estudo publicado recentemente pela organização Common Sense Media, por exemplo, apontou que 12 anos é a idade média em que um jovem tem contato com pornografia. Ou seja, basicamente enquanto criança!

De acordo com os dados divulgados na terça-feira do dia 10, 54% dos adolescentes afirmaram ter visto conteúdo pornográfico na internet antes dos 13 anos, enquanto 15% deles disseram ter tido acesso a esse tipo de material com apenas a 10 anos.

O estudo entrevistou 1.300 adolescentes entre 13 e 17 anos, e 73% deles disseram que já tiveram acesso a conteúdo adulto antes dos 17. Para Jim Steyer, fundador da Common Sense Media, esse é um problema que precisa urgentemente ser enfrentado pela sociedade, em vez de ignorado.

Em uma entrevista para o New York Times, ele afirmou que “não podemos varrer esse assunto para debaixo do tapete só porque é desconfortável falar sobre ele.” Jim apontou a facilidade de acesso à internet como grande responsável por esse aumento de adolescentes vendo conteúdo adulto.

A internet como porta

“A pornografia é uma grande parte da vida das crianças que têm acesso digital como nunca antes, e precisamos ter uma conversa nacional sobre isso”, argumentou Jim Steyer.

Atualmente, muitas crianças têm acesso a um celular, contendo ali a internet usada para acessar conteúdo adulto. Acreditando que os filhos não terão acesso à pornografia através de sites, alguns pais relaxam e não percebem que muitas vezes esse tipo de material é transmitido por aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

Isso pode explicar o motivo pelo qual, ainda de acordo com o estudo, 58% dos adolescentes entrevistados disseram ter visto pornografia de forma não intencional, pela internet, enquanto 44% deles buscaram o conteúdo, informou o FaithWire.

No estado da Louisiana, nos Estados Unidos, a pornografia já é considerada um problema de saúde pública, visto que pode provocar distúrbios de ordem comportamental e psicológica, sendo considerada, também, uma forma de abuso quando exposta para menores.

Uma lei aprovada recentemente no estado diz que o conteúdo adulto “contribui para a hipersexualização de adolescentes e crianças pré-adolescentes e pode levar a baixa auto-estima, distúrbios da imagem corporal, aumento da atividade sexual problemática em idades mais jovens e aumento do desejo entre os adolescentes de se envolver em comportamento sexual de risco”.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id; js.async = true;
js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.8&appId=297019197061979”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));



Source link

Comentários