Cristãs são despidas e violentadas em Manipur

Destaques Mensagens


Nenhuma prisão ou medida efetiva foi tomada pelo governo indiano

A violência não cessa em Manipur. O conflito étnico-religioso que está desvastando o estado na Índia já gerou mais de 30 mil deslocados internos. A comunidade cristã local já testemunhou mais de 120 mortes, 380 igrejas atacadas e destruídas, mais de mil casas incendiadas e mais de 250 vilarejos e espaços de comércio de cristãos atacados. A Índia é o 11º país na Lista Mundial da Perseguição 2023 que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos. 

 A tensão tornou Manipur um local hostil, com ataques constantes há mais de 80 dias. Após um longo período sem internet, desde a suspensão em maio, autoridades lcoais liberaram parcialmente o acesso à rede. Vídeos e imagens que mostram os ataques horríveis viralizaram nos últimos dias e têm indignado indianos e cristãos no mundo todo. 

 Vídeo viral 

 Uma das publicações mais recentes chamou a atenção ao mostrar duas mulheres cristãs da minoria kuki-zo que foram arrancadas de uma viatura da polícia por um grupo de homens da comunidade meitei, liderados pelo radical Arambai Tenggol. Eles tiraram as roupas das cristãs que foram exibidas nuas e molestadas.  

 O incidente despertou a indignação de pessoas por toda a Índia. A completa indiferança e negligência do governo local estão finalmente sendo questionadas. Não se entende porque a polícia não toma nenhuma ação para impedir os ataques e por que nenhum tipo de denúncia contra os violentadores foi feita, considerando-se que o rosto de cada um deles está nítido nos vídeos.  

 Pedimos aos cristãos brasileiros que não procurem ou divulguem o vídeo das cristãs. São imagens sensíveis que apenas aumentam a dor delas. O governo indiano já recebeu as imagens e está avaliando como lidar com os criminosos. 

Impunidade 

Desde o início da crise, nenhuma prisão foi feita, apesar das claras violações dos direitos humanos e a pressão de órgãos internacionais. Pela primeira vez, o Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi, quebrou o silêncio e se pronunciou afirmando que a irá intervir com medidas severas contra os agressores. A Suprema Corte indiana já alertou que, se o governo não agir, a própria corte tomará as providências necessárias.

A parceira local da Portas Abertas Rachel Reddy (pseudônimo) disse que “é doloroso e chocante ver o vídeo e ouvir sobre esses incidentes terríveis. Desde que a internet foi parcialmente liberada, vemos os registros dos ataques hostis. Muitos crimes ficaram escondidos durante o período em que a internet foi suspensa. Nenhuma medida foi tomada. A justiça continua retida. Ainda há muita inquietação, ataques e brigas segundo cristãos locais”. 

 “Nossas orações e presença estão ajudando as vítimas do conflito. Os cristãos estão cercados por todos os lados, com disputas do lado de fora e o medo que toma o coração do lado de dentro. Não há trégua da violência. Os direitos humanos estão sendo violados com crueldade. Não conseguimos explicar o trauma que as mulheres, crianças e outras vítimas afetadas estão sendo afetadas”, conclui Rachel. 

 Socorra os cristãos atacados na Índia 

Ataques como os que os cristãos enfrentam em Manipur tiram alimentos, acesso à água e outros itens básicos de sobrevivência dos nossos irmãos na fé. Saiba como participar da campanha e ajude-os em oração, doação e presença.  

 Pedidos de oração 

  • Peça a Deus que restaure o coração das cristãs violentadas e cure todo o trauma e dor que elas estãos enfrentando. 
  • Clame ao Senhor para que o conflito em Manipur cesse e que as autoridades indianas se mobilizem para defender as minorias cristãs das violações de direitos humanos.  
  • Interceda pelas famílias enlutadas e desabrigadas por causa dos ataques.  
  • Rogue a Deus que conceda sabedoria e força para os líderes cristãos locais para que a igreja indiana não se enfraqueça por causa da perseguição.

Comentários