Jovem ataca duas igrejas cristãs em Bangladesh

Destaques Mensagens


O rapaz usou uma espada para destruir a cruz e o portão das igrejas

Na última sexta-feira, 27 de abril, um jovem muçulmano atacou duas igrejas em Anandapur, um vilarejo próximo a Daca, capital de Bangladesh. O ataque aconteceu por volta das 4 horas da tarde. O jovem quebrou a cruz e o portão na entrada da igreja com uma espada.  

Cristãos locais ouviram quando o portão foi rompido e correram para o local para impedi-lo e receberam uma chuva de xingamentos do rapaz. Ao sair da primeira igreja atacada, ele foi para a segunda igreja e atacou também a cruz na entrada. Enquanto golpeava a cruz, um cristão perguntou por que ele estava fazendo aquilo.  

A pergunta irou ainda mais o rapaz que respondeu: “Não se aproximem! Não tentem me impedir! Senão eu mato vocês”. Os cristãos ainda assim se aproximaram e conseguiram detê-lo de destruir completamente a cruz. O jovem machucou a mão enquanto era imobilizado.  

Ataque premeditado 

Os pais do rapaz se uniram com outros muçulmanos na frente da igreja para levar o jovem alegando que ele tinha uma doença mental. Mas a polícia local já estava a caminho e decidiu levar o rapaz para a delegacia. 

Um pastor local disse: “Isso não aconteceu por acaso. Foi resultado de um plano, algo premeditado. Muitos muçulmanos alegam que os ataques que fazem contra cristãos são justificados por doenças mentais. Sem um plano, o jovem não teria quebrado as cruzes das duas igrejas. Alguém o influenciou e ajudou para que ele colocasse essa ideia em
prática”. 

O incidente espalhou medo entre os cristãos locais e nas igrejas vizinhas. Parceiros locais da Portas Abertas estão trabalhando para encorajar as igrejas a não perderem a esperança.  

A perseguição a cristãos em Bangladesh

O país é o 30º colocado na Lista Mundial da Perseguição 2023, que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos. 

A perseguição mais severa é reservada para os cristãos de origem muçulmana, hindu, budista ou tribal. Esses cristãos podem enfrentar restrições, discriminação e até ataques. As reuniões com outros cristãos geralmente são feitas em segredo.  

As igrejas protestantes que estão engajadas no evangelismo em comunidades muçulmanas também podem enfrentar perseguição. A prisão de líderes de igrejas pode desestabilizar as comunidades cristãs e fazê-las sentir medo de se reunir para o culto. Mesmo outras denominações que historicamente enfrentaram menos perseguição em Bangladesh, como as afiliadas à Igreja Católica Romana, enfrentam cada vez mais ataques e ameaças de morte.  

A maioria dos cristãos de origem muçulmana não tem o direito de celebrar publicamente a fé em Jesus. Eles não podem ir à igreja e todos os cultos devem acontecer secretamente, longe da família e dos vizinhos. No lugar da alegria que deveria marcar a Páscoa, os corações deles ficam tomados por medo, pânico e tensão. 

Rabeya (pseudônimo), de 40 anos, vive em uma região no Noroeste de Bangladesh e é testemunha dessa realidade. Ela conheceu a Jesus em 2019, deixou o islã e passou a seguir a Cristo em segredo. Ela só consegue ir à igreja quando ninguém está por perto.  Leia aqui o testemunho completo da cristã

Pedidos de oração 

  • Ore pela segurança dos cristãos em Bangladesh.  
  • Interceda pelas duas igrejas atacadas para que se recuperem dos ataques em breve e continuem sendo testemunhas do amor de Cristo na vizinhança. 
  • Peça a Deus para que os líderes cristãos tenham sabedoria para auxiliar a comunidade cristã a superar a perseguição em Cristo. 
  • Ore para que os perseguidores, como o jovem muçulmano, conheçam a maravilhosa graça e perdão em Jesus.   

Comentários