Juros do cartão de crédito atinge valor CHOCANTE; confira qual taxa será cobrada

Finanças Notícias


A média da taxa de juros cobrada no cartão de crédito rotativo no mês de março de 2023 atingiu o maior valor ao longo de 6 anos, segundo informou o Banco Central nesta quinta-feira (27). As dívidas com as operações do serviço são algumas das que mais atingem os brasileiros e levam a situação de inadimplência.

O cartão de crédito pode ser bastante útil na compra de produtos e serviços com valor elevado, os quais os consumidores não possuem toda a quantia para pagar de uma só vez, dessa forma optam pelo parcelamento. Acontece que quando a fatura não é paga na data correta acaba gerando taxas, assim o que era para ser um aliado se torna o vilão da vida financeira.

Neste sentido, os economistas apontam o juros rotativo do cartão de crédito como uma das taxas mais altas que são cobradas por serviços financeiros, o que acaba por favorecer o acúmulo de dívidas. Para evitar cair nessa roubada, confira a seguir o tamanho do prejuízo que os consumidores podem ter com os juros do serviço.

Juros do cartão de crédito atinge valor CHOCANTE; confira qual taxa será cobrada
O valor coloca a taxa do serviço como a linha de crédito mais cara do mercado financeiro. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Juros do cartão de crédito rotativo registra o maior valor desde 2017

De acordo com o Banco Central, em março deste ano o juro do cartão de crédito rotativo atingiu 430,5%, no mês anterior, em fevereiro, o valor era de 417,4%, o que representa um aumento de 13,1%. Essa é a maior elevação desde março de 2017, quando o juros era de 490% ao ano.

É importante entender em que situações o juros rotativo é cobrado para evitar ter que pagá-lo. O cartão de crédito entra no rotativo quando o cliente não paga o valor total da fatura até a data de vencimento. Segundo os economistas, essa é a linha de crédito mais cara do mercado financeiro, por isso deve ser evitada devido ao alto risco de endividamento.

Falando em dívidas, o Banco Central divulgou dados que revelam que o endividamento representa 48,6% da renda acumulada nos últimos 12 meses, até fevereiro. Em 2022 foi registrado um número recorde de empréstimos concedidos através do cartão de crédito rotativo, especialmente considerando as concessões para pessoas físicas.

Veja também: Cartão de crédito ou PIX parcelado? Qual a diferença e a melhor forma de PAGAMENTO?

Governo federal negocia redução

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que o governo federal está em contato com os bancos para reduzir a taxa de juros cobrada em operações com o rotativo do cartão de crédito. Ele afirmou que da forma como está atualmente a população de baixa renda é muito afetada, ficando inadimplente, com o nome nos órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa, e sem conseguir sair do rotativo.

Haddad também destacou o empenho em encontrar uma solução para a situação, como foi feito com o empréstimo consignado para aposentados do INSS. Dessa forma, segundo o ministro, a redução para a taxa dos cartões de crédito é algo que já está em pauta e sendo discutido com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Especialistas em finanças afirmam que a questão está longe de ser resolvida. Uma alternativa que está sendo analisada é a de oferecer taxas mais baixas para alguns clientes, que não são devedores frequentes e que ficam por pouco tempo na condição do crédito rotativo.

Veja também: COMUNICADO para todos os brasileiros que não conseguem CONTRATAR um cartão de crédito



Source link

Comentários