Justiça manda Assembleia de Deus retirar vídeos de pastor que disse que homossexuais vão para o inferno

Mensagens


Pastor David Elridge durante pregação na Assembleia de Deus de Brasília (Foto: Reprodução)
Pastor David Elridge durante pregação na Assembleia de Deus de Brasília (Foto: Reprodução)

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Brasília vai ter que retirar todos os vídeos do pastor norte-americano David Eldridge, que proferiu um discurso que foi considerado homofóbico durante um evento realizado no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.

A determinação foi da juíza Lívia Lourenço Gonçalves da 4ª Vara Cível de Taguatinga, em Brasília.

O evento ocorreu em fevereiro deste ano. Na sua fala, o pastor afirmou que “todo homossexual tem uma reserva no inferno”.

A juíza Lívia Lourenço Gonçalves justificou sua decisão ao fato de que na Constituição Federal de 1988, todos têm liberdade de expressão e de manifestação religiosa garantidas. Porém, explica que no vídeo o pastor profere um discurso de ódio contra a comunidade LGBTQIAP+, com bases em supostas interpretações religiosas e que, segundo ela, não refletem o comportamento cristão. “Que em grande parte também não refletem o espírito cristão, podem em tese fomentar atitudes discriminatórias e de violência por parte dos fiéis contra pessoas integrantes da comunidade LGBT+, o que não se admite”, afirmou.

“Assim, não se pode admitir que se perpetuem, mediante a ampla divulgação de vídeos, de discursos que traduzem manifestações que degradem, inferiorizem, subjuguem, ofendam ou que levem à intolerância ou discriminação e possam ser configurados como crime, razão pela qual o pedido deve ser acolhido”, disse a juíza.

Com essa decisão, a juíza determinou a retirada, em 48 horas, do vídeo das redes sociais, e em caso de descumprimento a igreja será penalizada a pagar R$ 50 mil por dia.

No dia 19 de fevereiro, domingo de carnaval, o pastor americano David Elridge participou do Congresso Evangélico União das Mocidades, realizado pela Assembleia de Deus. Na ocasião, fez um agressivo discurso dizendo que “há um lugar reservado no inferno” para quem tem orientação sexual LGBTQIA+.

“Todo homossexual tem uma reserva no inferno, toda lésbica tem uma reserva no inferno, todo transgênero tem uma reserva no inferno, todo bissexual tem uma reserva no inferno, toda drag queen tem uma reserva no inferno”, disse o pastor à plateia de jovens evangélicos. “Você, rapaz, que está usando calça apertada, que é um espírito de homossexual, você vai pro inferno. Você, moça, que quando sai da sua casa a sua saia é tão curta e tão apertada, você sabe o que está fazendo? Você tem uma reserva no inferno.”, disse o pastor durante pregação.

A Aliança Nacional LGBTI+ e a Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (Abrafh) entraram com uma ação civil pública contra a Igreja Assembleia de Deus de Brasília por comportamento homofóbico.

Malafaia defende pastor americano

O pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), defendeu a liberdade de culto do pastor norte-americano David Eldridge.

No culto do último domingo (05/03), Malafaia citou o artigo 5º da Constituição para lembrar aos fiéis que o pastor estava coberto por ela, e por essa razão, não deveria ser investigado por qualquer fala feita durante o congresso em questão.

Em seguida, Malafaia leu 1º Coríntios 6.10-11 para confirmar que a fala do pregador norte-americano teve respaldo bíblico.: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus”.

“Isso é: essa cambada toda aqui vai para o inferno. Eu não ponho ninguém no céu, e não ponho ninguém no inferno. É a Bíblia, o livro que eu creio que, segundo minha convicção religiosa, é quem diz quem é que vai para o inferno”, pregou Silas.

Segundo o pastor, o versículo bíblico é claro ao dizer que efeminados e sodomitas vão para o inferno. Em sua visão, são os homens que têm relações com outros homens.

O pastor também pregou Apocalipse 21.8 que diz: “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte”.

Malafaia prossegue dizendo que as pessoas podem denunciá-lo ao Ministério Público por essas falas, mas afirmou que está baseado no artigo 5º, incisos 4, 6 e 8. “Não tem ministro do STF, não tem senador, não tem deputado, não tem governador e nem presidente, ninguém neste país pode impedir a pregação religiosa da nossa convicção”, declara.

Folha Gospel com informações de Congresso em Foco, Meio Norte e Portal do Trono





Source link

Comentários