Kleber Lucas diz que hino “Alvo Mais Que a Neve” é racista e fala sobre a “teologia preta” no Brasil

Mensagens


Em entrevista ao lado de Caetano Veloso, Kleber Lucas criticou o hino ‘Alvo Mais Que a Neve’ (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Em entrevista ao lado de Caetano Veloso, Kleber Lucas criticou o hino ‘Alvo Mais Que a Neve’ (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O cantor Kleber Lucas voltou a causar polêmica nas redes sociais ao compartilhar um trecho de sua participação no Mídia Ninja. Na conversa, onde ele aparece sendo entrevistado pelo cantor Caetano Veloso, o pastor da Batista Soul fala sobre o racismo, e diz que o hino “Alvo Mais Que a Neve”, da Harpa Cristã, é de uma conotação racista.

Segundo o cantor gospel, sua visão sobre a música é que, se algum cristão aceitar Jesus, ficará branco como a neve. Com isso, o músico lamentou que a música seja cantada por muitos brancos e negros com lágrimas nos olhos pelo fato de “ser uma canção lindíssima, de uma memória família e cúltica”.

No entanto, segundo ele, trata-se de um discurso “nefasto” e “de dominação”. “Porque o sangue de Jesus me torna branco. As ideias de embranquecimento estão no hino”, disse ele.

Para Kleber Lucas, “há um distanciamento, um caminho a ser percorrido”. Ele ainda explicou, com base nele mesmo, que o Brasil precisa de uma “teologia preta”, que segundo ele, chegou no País recentemente e foi deixado de lado pela Igreja. Ele citou, por exemplo, os ensinamentos de James Cone, um teólogo americano conhecido por sua defesa da teologia negra e da teologia da libertação negra.

Nas redes sociais, Kleber reforçou sua fala sobre o assunto: “O cristianismo teve papel fundamental na implementação de um projeto de dominação racial na colonização. Hoje no Brasil, tardiamente, há correntes de pensamentos, encontros, discussões sobre uma “Teologia Preta”.

Críticas sobre a fala de Kleber Lucas

A página Cante Escrituras no Instagram (@canteescrituras) criticou a fala do cantor e pastor Kleber Lucas. No vídeo onde rebate os comentários do cantor, são citados os versículos de Isaías 1:18 e Salmos 51:7.

“Vinde então, e argui-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã”, diz em Isaías 1:18.

“Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve”, diz o Salmos 51:7

O site Fuxico Gospel disse que “o músico não levou em consideração que o hino de número 39 da Harpa Cristã estava se referindo a alvo no sentido de limpeza, ou seja, que o sangue de Jesus nos lava e nos torna limpos, sem pecado.

O site Gospel Prime disse que “o cantor tentou usar o louvor para inserir uma divisão racial na Igreja” e “que a tentativa de dividir a sociedade é uma tática bastante usada pela extrema esquerda e tudo indica que o alvo da vez são justamente os evangélicos, onde a ideologia é bastante combatida.”

Fonte: Portal do Trono com informações de Fuxico Gospel e Gospel Prime





Source link

Comentários