Líderes evangélicos criticam vandalismo em Brasília

Mensagens


Líderes evangélicos de diversas denominações criticaram os atos de vandalismo que aconteceram em Brasília no domingo (8) quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas.

O primeiro a comentar o caso foi o pastor Silas Malafaia, da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) que fez questão de mostrar que por várias vezes os movimentos de esquerda praticaram terrorismo em Brasília, sendo a última vez registrada em 2014.  Além disso, o pastor citou outros ataques em 2016, 2017 e 2020.

“Agora quero ser franco: fui contra quebra-quebra de petistas e sou contra quebra-quebra. Não sou a favor de quebra-quebra, sou a favor de manifestações livres, baseadas no artigo 5° da Constituição, inciso XVI, manifestações livres e pacíficas”, declarou.

O apóstolo Estevam Hernandes, fundador da Igreja Renascer em Cristo, também se manifestou contra os atos de vandalismo. “Esse não é o caminho da democracia. Esse não é o caminho da vontade de Deus. Infelizmente, as pessoas radicalizam, mas se existe um caminho, esse caminho é a da oração e nós repudiamos o que aconteceu em Brasília”, declarou.

O pastor Renato Vargens, da Igreja Cristã da Aliança em Niterói (RJ), emitiu uma nota de repúdio contra o que aconteceu em Brasília, reafirmando a posição do Instituto Brasileiro de Direito Religioso (IBDR) que rechaçou as manifestações violentas.

O pastor Jorge Linhares, da Igreja Batista Getsêmani em Belo Horizonte (BH), também condenado a violência, mas fez questão de dizer que a revolta dos manifestantes é justificável por conta “de uma série de ações contra pessoas que amam o Brasil”.

Redação Exibir /Leiliane Lopes

Comentários