Mais de 100 pessoas são presas por incendiarem igrejas no Paquistão

Destaques


No Paquistão, mais de 100 pessoas foram presas após ataques a pelo menos 21 igrejas e vandalização de dezenas de casas na província de Punjab. As ações foram desencadeadas por alegações de que dois homens cristãos profanaram uma cópia do Alcorão, o livro sagrado do Islã.

Desse modo, milhares de muçulmanos lideraram violentos tumultos, incendiando igrejas e vandalizando casas em uma colônia cristã na cidade de Jaranwala na quarta-feira. Os distúrbios foram iniciados pelas alegações de que páginas do Alcorão foram rasgadas e conteúdo blasfemo foi escrito nelas.

De acordo com relatos de moradores, a polícia chegou ao local cerca de 10 horas depois, no entanto a polícia negou isso, afirmando que impediu danos ainda piores. Usman Anwar, chefe de polícia da província de Punjab, foi citado como dizendo que a falta de intervenção tinha o objetivo de evitar a perda de vidas ao não aumentar a tensão.

Nesse sentido, a polícia prendeu pelo menos 128 pessoas por vandalizarem igrejas. Os homens cristãos falsamente acusados de rasgar páginas de um Alcorão, identificados como Rocky Masih e Raja Masih, também foram presos e estão sendo investigados por blasfêmia, um crime punível com a morte no país.

Segundo The Christian Post, embora ninguém tenha sido executado por blasfêmia no país, meras acusações podem levar a tumultos em grande escala, linchamentos e assassinatos. Reuniões públicas foram restritas por uma semana no distrito de Faisalabad, incluindo Jaranwala, na tentativa de manter o controle sobre a situação.

Sendo assim, vídeos nas redes sociais mostram manifestantes destruindo prédios cristãos enquanto a polícia parece assistir sem intervir. Slogans extremistas em favor do partido político extremista islâmico Tehreek-e-Labbaik e do grupo islâmico Khatam-e-Nabuwat foram levantados por multidões locais.

“Uma vez mais fomos confrontados com ódio aberto e raiva incontrolável direcionada à comunidade cristã”, disse o Arcebispo Benny Travas de Karachi em comunicado.

Por fim, na sexta-feira, Travas liderou uma manifestação não violenta contra os ataques em Jaranwala no Karachi Press Club. A Comissão dos Bispos para o Diálogo Inter-religioso organizou um protesto semelhante em Hyderabad. Em ambos os locais, os participantes expressaram sua condenação à violência, falando e exibindo faixas.



Source link

Comentários