Mais de 60 cristãos são mortos por terroristas em vilarejos na Nigéria

Mensagens


Enterro de cristãos em uma aldeia na Nigéria. (Foto: Reprodução/Facebook/Morning Star News)
Enterro de cristãos em uma aldeia na Nigéria. (Foto: Reprodução/Facebook/Morning Star News)

A Nigéria continua em estado de alerta com os diversos relatos de massacres aos cristãos. No último sábado (1), pastores Fulani mataram cerca de sete cristãos no estado de Benue, com os assassinatos, o total de cristãos mortos subiu para 60.

Segundo fontes do Morning Star News, os agressores mataram um cristão em um culto no condado de Logo, depois que pelo menos seis cristãos no condado de Apa foram mortos no início do mesmo dia.

“A vila de Ikobi, uma comunidade cristã, está atualmente sob ataque de pastores Fulani. Várias casas foram arrasadas, enquanto mais de seis cristãos foram mortos pelos agressores. Os cristãos na área do governo local de Apa precisam de orações”, disse Ojo, morador do condado de Apa.

Edward Lucky, outro morador, afirmou: “Aldeias cristãs na área do governo local de Apa estão sob ataque. Muitos cristãos foram deslocados pelos pastores armados. Esses ataques forçaram os cristãos a abandonar suas fazendas. Não houve intervenção do governo para conter essas invasões”.

Condado de Logo

No condado de Logo, no estado de Benue, pastores Fulani invadiram um culto religioso por volta das 21h. No mesmo sábado (1), mataram um cristão, feriram outros cinco e sequestraram o pastor e outros quatro membros da congregação.

“Os pastores muçulmanos Fulani lançaram um ataque aos cristãos que estavam adorando em uma igreja pentecostal em Akenawe, vila de Tswarev na área de governo local de Logo”, disse Uzer Moses, morador da área.

“Um membro, o Sr. Orolumunga Changogi, foi morto a tiros pelos pastores, enquanto o pastor da igreja, o Rev. Gwadue Kwaghtyo, juntamente com outros quatro, foram capturados e levados para um local desconhecido”, acrescentou ele, informando que outros cinco membros da igreja foram baleados e feridos, e estavam recebendo tratamento hospitalar, incluindo o líder comunitário Zaki Tyokase Ingyutu.

Hemen Terkimbi, uma autoridade da comunidade cristã na área confirmou o ataque e contou que o governo federal precisa reduzir tais atos terroristas no estado de Benue.

“Este ataque a cristãos indefesos que estavam em um culto é insensível. Este ato é condenável e não há justificativa moral para isso”, declarou Hemen.

Condado de Agatu

Dias antes dos ataques aos condados de Logo e Apa, pastores atacaram o condado de Agatu.

“Os Fulanis atacaram a vila de Atakpa, uma comunidade cristã na área do governo local de Agatu, onde mataram mais de seis cristãos e feriram dezenas deles”, disse John Ikwulono, ex-funcionário do conselho da Agatu.

“Além de invadir a aldeia de Atakpa, os pastores também invadiram a aldeia de Okpagabi, onde atiraram e feriram muitos cristãos. Algumas dessas vítimas estão atualmente recebendo tratamento em alguns hospitais”, acrescentou ele.

Paul Hemba, conselheiro especial para questões de segurança do governador do estado de Benue, disse que grandes grupos de terroristas armados e pastores realizaram recentemente ataques maciços no estado.

“Esses ataques às comunidades cristãs por parte dos pastores persistem incessantemente. Isso vem acontecendo há algum tempo, mas os militares e policiais convocados para reprimir esses atos terroristas não conseguiram atingir seu objetivo. Os pastores armados vêm atacando, e todas as vezes são repelidos e depois de alguns dias voltam novamente”, informou Paul.

A porta-voz do Comando de Polícia do Estado de Benue, Catherine Anene, afirmou: “É verdade que esses pastores se mudaram em grande número para as comunidades afetadas, mas esforços estão sendo feitos pela polícia e outras agências de segurança para conter esses ataques”.

Estado crítico na Nigéria

Em 26 de março na área do governo local de Guma, três mulheres e dois homens agricultores foram mortos nas aldeias predominantemente cristãs de Njee e Chongu, depois que a aldeia de Udei foi atacada.

Em 13 de março, pastores também mataram mais 50 cristãos em ataques contínuos no condado de Kwande.

No dia 9 de março, o funcionário do estado de Benue, Mike Uba, disse em uma coletiva de imprensa da Associação de Governos Locais da Nigéria (ALGON), que a obtenção de terras não é o principal motivo dos ataques e que os agressores estão loteando terras para os Fulanis muçulmanos de todo o mundo.

Uba relatou que os ataques marcaram a primeira vez que seis áreas de Benue — Guma, Makurdi, Gwer-West, Kwande, Agatu e Logo — foram simultaneamente atacados por pastores Fulani e outros terroristas.

De acordo com o relatório de 2023 da missão Portas Abertas, foram 5.014 crentes assassinados na Nigéria.

O país liderou o mundo em cristãos sequestrados (4.726), agredidos ou assediados sexualmente, casados ​​à força, abusados ​​física ou mentalmente, e teve o maior número de casas e empresas atacadas por motivos religiosos.

A Nigéria saltou para o sexto lugar, sua classificação mais alta de todos os tempos, do 7º lugar no ano anterior.

Assim como em 2022, a Nigéria teve o segundo maior número de ataques a igrejas e pessoas deslocadas internamente.

Fonte: Guia-me com informações de Morning Star News





Source link

Comentários