Mídia social e ateísmo estão ligados a maior risco de suicídio entre adolescentes, revela estudo

Mensagens


Adolescentes com Smartphones (Foto: Reprodução)
Adolescentes com Smartphones (Foto: Reprodução)

Adolescentes que são fortemente influenciados pelas mídias sociais e que não têm uma base espiritual sólida têm um risco significativamente maior de suicídio, de acordo com um novo estudo.

O estudo com mais de 4.700 adolescentes de 14 a 17 anos em nove países encontrou uma correlação entre ateísmo/agnosticismo/incerteza espiritual, uso intenso de mídia social e pensamentos destrutivos.

Especificamente, “as taxas de pensamentos destrutivos são mais comuns entre os adolescentes que expressam que não acreditam em nada espiritual, estão incertos sobre suas crenças ou acreditam que pecam, mas não acreditam em Jesus”, descobriu o estudo.

O estudo do Center for Bible Engagement at Back to the Bible em parceria com o Our Daily Bread Ministries se autodenomina “um dos primeiros estudos a considerar as relações entre espiritualidade, mídia social e saúde mental”.

Pensamentos destrutivos são um fator de risco para suicídio, observou o estudo.

Os pensamentos destrutivos são mais comuns entre os adolescentes que, por exemplo, endossam crenças como “não preciso de Deus”, “sou espiritual, mas não acredito em Deus”, “Deus não existe” e “não há vida após a morte quando morremos”.

Em comparação, os adolescentes que estão envolvidos com a Bíblia são significativamente menos propensos a ter pensamentos destrutivos, de acordo com o estudo.

O estudo descobriu que o “alto risco de suicídio” entre os adolescentes estava ligado às suas “crenças espirituais e experiência em mídia social”, de acordo com o Center for Bible Engagement.

Adolescentes que vivem nos Estados Unidos e no Reino Unido são mais propensos do que os adolescentes de outros países a experimentar pensamentos destrutivos, disse o estudo.

“Como um dos primeiros estudos a considerar as relações entre espiritualidade, mídia social e saúde mental, os dados aprofundaram nossa compreensão do mundo interior dos adolescentes de hoje”, disse Arnie Cole, diretor de pesquisa e desenvolvimento do Center for Bible Engagement . “Também fornecemos algumas evidências iniciais de fatores que aumentam ou diminuem o risco de pensamentos destrutivos, incluindo o envolvimento com a Bíblia e a limitação do uso da mídia social. Nosso objetivo é desenvolver com nossos parceiros um conjunto de ferramentas de engajamento bíblico/crescimento espiritual que incluam uma avaliação da aptidão espiritual do adolescente que possa prever comportamento autodestrutivo, variando de suicídio a homicídio. Não apenas para prever, mas também para recomendar atividades de condicionamento espiritual para evitá-lo.”

Folha Gospel com informações de Christian Headlines





Source link

Comentários