Real Digital será LANÇADO em março; seria este o FIM do dinheiro físico?

Finanças Notícias


Na última segunda-feira, o presidente do Banco Central, Campos Neto, anunciou que a entidade irá iniciar o projeto piloto da moeda digital, o Real Digital.  A princípio, Campos Neto afirmou que o anúncio oficial será feito no próximo mês e que a previsão é ter a moeda digital em funcionamento para o público até o final de 2024. 

O presidente ainda destacou que o projeto é uma prioridade para a instituição e que o objetivo é modernizar o sistema financeiro brasileiro, trazendo mais agilidade, segurança e eficiência para as transações financeiras.

Real Digital será LANÇADO em março; seria este o FIM do dinheiro físico?
Lançamento do Real Digital vai facilitar transações bancárias. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Real Digital: a nova moeda digital do Banco Central do Brasil

Foi durante o IDP Summit que Roberto Campos Neto anunciou que a instituição lançará o projeto piloto do Real Digital, uma extensão da moeda física.

A distribuição da moeda digital será intermediada pelos bancos e ela poderá ser trocada pelo real tradicional em notas e vice-versa. Para isso, o sistema de cotação do Real Digital será o mesmo de outras moedas. 

No entanto, os bancos não poderão emprestar os recursos a terceiros e os recursos não terão correção automática. 

Campos Neto enfatizou que as operações terão garantia de segurança jurídica, cibernética e de privacidade. Ele também afirmou que o Brasil é um dos primeiros países a lançar uma moeda digital e que o projeto será avançado gradualmente e com segurança.

Sendo assim, o objetivo do Real Digital é modernizar o sistema financeiro brasileiro, trazendo mais agilidade, segurança e eficiência para as transações financeiras.

Leia também: Lula pode promover GRANDE mudança no Banco Central EM BREVE

A moeda digital do Banco Central e o futuro dos meios de pagamento no Brasil

Após o sucesso do PIX, o Banco Central do Brasil iniciou estudos para a emissão de uma moeda digital, também conhecida como CBDC. A primeira fase dos estudos, chamada de Lift Challenge, foi concluída e agora o projeto caminha para a criação de um protótipo teste. 

A ideia da moeda digital é a integração com sistemas de pagamentos internacionais, permitindo que as compras em outros países sejam convertidas imediatamente. 

Além disso, o Real Digital terá menor custo de intermediação, maior eficiência, maior inclusão digital e possibilidade de monetização em comparação com a moeda física.

Segundo o presidente, a moeda permitirá que os pagamentos sejam feitos por meio digital, em que o ente recebedor deixa de ser uma pessoa e passa a ser um contrato digital. Ou seja, essa mudança trará várias melhorias em relação aos pagamentos realizados pelo PIX.

Uma das vantagens do Real Digital é que ele não exigirá uma nova regulamentação no país, pois herda os protocolos do depósito. Dessa forma, a moeda digital será regulada da mesma forma que o depósito, o que significa uma grande economia de tempo e recursos.

Todo esse avanço nos meios de pagamentos se alinha ao Open Finance, que faz parte do Open Banking. Sendo assim, o objetivo da ferramenta é compartilhar os dados entre as instituições financeiras focando na inteligência de pagamentos. 

Para alguns especialistas, o CBDC é visto como um Pix mais inteligente. Em resumo, a ideia é que a moeda digital traga mais eficiência e segurança para as transações financeiras no Brasil.

Saiba também: Moeda brasileira digital vem aí: vale a pena? Quem pode usar?



Source link

Comentários