Xuxa sugere reescrever a Bíblia: “Que tal fazer um novo testamento?”

Mensagens


Xuxa Meneghel. (Foto: Imagem ilustrativa/Reprodução/Instagram/Xuxa Meneghel)
Xuxa Meneghel. (Foto: Imagem ilustrativa/Reprodução/Instagram/Xuxa Meneghel)

A apresentadora Xuxa Meneghel gerou polêmica mais uma vez ao expressar suas opiniões sobre a Bíblia Sagrada e o conservadorismo de certos líderes religiosos. Dessa vez, ela sugeriu a criação de um “Novo Testamento” retirar passagens da Bíblia em resposta àqueles pastores que se opõem ao feminismo.

A sugestão foi feita nos comentários de uma publicação do pastor liberal Hermes Fernandes, que criticava os ensinamentos bíblicos sobre feminilidade e masculinidade do pastor Anderson Silva e da evangelista Juliana Ferron, autora do livro “Cansei de Ser Gay”.

“Um homem, uma mulher. Ambos evangélicos. Um pastor e uma conferencista. O que têm em comum? Seu ódio explícito ao feminismo e seu desprezo descarado à mulher. Esperar tal postura de um homem que lidera um movimento chamado Machonaria, tudo bem, quer dizer, ao menos coerente. Mas de uma mulher?”, escreveu Hermes, em postagem no Instagram, na semana passada.

Concordando com ele, Xuxa comentou na publicação, propondo excluir passagens da Bíblia consideradas como “discurso de ódio”.

“Meu pai, e a pergunta que não quer calar… prender não adianta… e que tal fazer um novo testamento? (Pois o povo interpreta como quer) que tal tirar todas as histórias de ódio e só deixar o amor (lá vem o povo chato dizer que estou desdenhando a Bíblia)”, escreveu ela.

E argumentou: “Povo! Vamos falar de amor? Essa é a verdadeira palavra de Deus”.

Xuxa já defendeu reescrever a Bíblia

Essa não foi a primeira vez que a apresentadora se manifestou contra as Escrituras em defesa de suas causas. Em abril, ela enviou uma mensagem ao pastor Silas Malafaia, líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), sugerindo que a Bíblia precisava ser reescrita para eliminar o ódio presente em suas palavras.

A declaração de Xuxa surgiu como resposta a afirmações feitas por Malafaia, nas quais ele mencionou quem seria destinado ao inferno de acordo com a Bíblia, incluindo idólatras, adúlteros, efeminados, sodomitas, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes e roubadores.

“Hipocrisia isso se chama… NINGUÉM pode julgar ninguém… e se seguirmos a bíblia … vamos apedrejar, matar, tanta gente… sei la… ta na hora de reescrever a bíblia ( velho testamento, bíblia e a palavra final, cheia de amor e tirar todo ódio que ta claro nessas palavras na bíblia ( DEUS É AMOR) ame o próximo e não importa o sexo, é óbvio que atos doentios é e sempre será crime crianças, bichos etc)”, disse Xuxa na ocasião.

A Bíblia é inerrante

O pastor Hernandes Dias Lopes destacou que o conteúdo da Bíblia é inerrante. “As Escrituras não contêm erros. Seu conteúdo foi revelado por Deus. Seus autores foram inspirados por Deus. Porque Deus é verdadeiro em seu ser, sua Palavra não pode falhar”, afirmou em artigo do site Guiame.

A própria palavra de Deus é contrária às alterações, conforme Provérbios 30.5-6: “Cada palavra de Deus é comprovadamente pura; ele é um escudo para quem nele se refugia. Nada acrescente às palavras Dele”.

Recentemente, a China anunciou a “tradução socialista da Bíblia” para tentar controlar as igrejas, mostrando que a missão do PCC (Partido Comunista Chinês) tem o objetivo de adequar a linguagem das Escrituras ao regime dominante do país.

Além disso, há minorias que também reescreveram a Bíblia a fim de adequarem as leis de Deus aos seus próprios desejos, como no caso da comunidade LGBT que lançou a “The Queen James Bible”, distorcendo os conceitos sobre homossexualidade.

Mais recentemente, grupos gays anunciaram um manual com visão própria sobre a Bíblia.

Sobre as leis de Deus contidas na Bíblia e que não agradam a todos na atualidade, o pastor Marco Feliciano comenta: “Por mais que uma lei não lhe agrade, pareça absurda ou fora de época, lei não se discute, lei se cumpre”.

Fonte: Guia-me e Portal do Trono





Source link

Comentários